Giverny e os Jardins de Monet: Guia perfeito para um bate-volta

Giverny e os Jardins de Monet: Guia perfeito para um bate-volta

Nos arredores de Paris, existem muitas cidades gracinhas e cheias de histórias. Uma delas é Giverny, cidade onde viveu o pintor impressionista Claude Monet. A 75 km de Paris, essa cidadezinha (bem pequenina mesmo) atrai diariamente turistas do mundo todo, principalmente japoneses. O motivo primordial é a casa onde viveu Monet e seus jardins maravilhosos.

No entanto, a Giverny não se limita apenas a Fundação Claude Monet, há outros lugares para serem visitados, incluindo as ruazinhas bucólicas e tranquilas. Pertinho de Paris, é um programa perfeito para fazer em um bate-volta de um dia.

Não só recomendo visitar a cidade de Monet, como também fiz este post para dar TODAS as dicas que você vai precisar: melhor época, como chegar, o que fazer, ingressos, onde comer e por aí vai… Vem comigo!! 😉

 

giverny-casa-monet

A CASA E OS JARDINS DE MONET

Inspiração para muitas obras impressionistas, a casa e os jardins de Monet são o ponto principal de Giverny e o segundo lugar mais visitado na Normandia, depois do Mont Saint Michel. É uma parada obrigatória para quem está na região!

Para conhecer a Fundação Monet, geralmente, tem uma filinha básica. Contudo, você consegue evitar se chegar no período da manhã ou comprar os ingressos pela internet. Ao entrar, sugiro iniciar o passeio pelos jardins – divididos em dois: Le Clos Normand e Le Jardin d’Eau – e terminar na casa do artista.

 

LE CLOS NORMAND

O pintor Claude Monet mudou-se para Giverny em 1883 e viveu lá até a sua morte, em 1926. Amante das flores, durante este tempo, realizou belíssimos trabalhos, como pintor e também como jardineiro.

O que era um pomar de maçãs e uma horta, foi transformado por Monet em uma obra de arte a céu aberto. O artista plantou cerejeiras no lugar das macieiras e milhares de tipos de flores, dentre elas: narcisos, tulipas, íris, peônias e papoilas orientais. Um festival de cores e odores que tornam a atmosfera do lugar única.

giverny-clos-normand

giverny-jardins-de-monet

 

LE JARDIN D’EAU

Fascinado pelos espelhos de água, Monet adquiriu um campo localizado na frente da sua casa, do outro lado da estrada, e criou uma lagoa para ter o seu próprio espelho de água. Chamado de jardim da água, Jardin d’Eau, está presente em vários quadros do artista impressionista.

Para ter uma vibe oriental, Monet construiu uma ponte – e a pintou de verde para se diferenciar do vermelho usado tradicionalmente no Japão – e plantou muitas espécies de plantas japonesas, como bambu, ginkgo biloba e peônias japonesas. Também plantou vários lírios d’água na lagoa e glicínias em torno da ponte.

Tentei explicar mais ou menos como é, mas a verdade é que o jardim é inexplicável. É um lugar mágico que consegue transmitir uma sensação de tranquilidade e paz mesmo cheio de turistas. A experiência é única e apenas digo: Vá conhecer de perto!

giverny-jardin-deau

 

 

giverny-maison-monet-studio

LA MAISON DE MONET

A visita na casa de Monet começa por um pequeno cômodo chamado sala azul, “salon bleu”, espaço usado para leitura e armazenamento de chás, especiarias e ovos frescos que eram guardados em uma caixa pendurada na parede (a caixa foi conservada até hoje e é muito fofa).

Na sequência, você passa pela primeira oficina de criação do artista a qual passou por uma restauração e recebeu réplicas de sessenta pinturas para que o espaço ficasse o mais próximo possível da época original. São dois cantinhos tão fofos e calmos que certamente deviam super inspirar esse artista tão importante.

 

giverny-maison-monet-quarto

No primeiro andar, é a parte mais reservada da casa, onde estão os quartos. Logo ao subir a escada, você chega ao quarto de Monet o qual ainda preserva objetos originais do artista. O quarto possui uma decoração clean, com móveis em madeira, alguns quadros na cabeceira da cama e uma luz natural maravilhosa.

Falando em quadros, durante o trajeto dentro da casa, você vai encontrar várias réplicas de quadros feitos por amigos de Monet, tais como Renoir e Cézanne.

Ainda no andar superior, você passa pelo banheiro do artista, o banheiro e o quarto de Alice – tem vista para um pequeno ateliê de costura – e um terceiro quarto chamado “Blanche Hoschedé-Monet”, com estampas de flores na decoração. Este último quarto foi um dos que eu mais gostei. 🙂

Voltando para o térreo, podemos ver a sala de jantar toda amarela, incluindo as paredes e os móveis, com várias gravuras japonesas e objetos de decoração. Logo adiante, está a cozinha azul que é um charme também.

giverny-maison-monet-sala-jantar

◊ Informações Práticas

Horário: Aberto diariamente, das 9h30 às 18h (última entrada às 17h30)

Ingressos: 9,50€ Adultos • 5,50€ Crianças (+7 anos) e Estudantes • Gratuito para crianças menores de 7 anos

Compra Online: Fondation Monet

Tempo médio de visita: 1h30

⇒DICA: você pode comprar combos, como por exemplo Fondation Claude Monet + Musée des Impressionnismes por 16,50€ para adulto.

 

 

MUSÉE DES IMPRESSIONNISMES

giverny-musee-des-impressionnismes

Um museu pequeno e jovem foi criado com objetivo mostrar a influência do movimento impressionista. Situado nos arredores da Fundação Claude Monet, o museu é dividido em dois ambientes. Na parte inferior, está a exposição “Autour de Claude Monet“, desde 2012, que mostra obras deste pintor e a colônia de artistas, em Giverny e Vale do Sena.

No piso térreo, está um espaço destinado às exposições temporárias. Inclusive, até o dia 2 de julho de 2017, é possível ver a exposição “Tintamarre ! Instruments de musique dans l’Art”, traduzindo para o português: “Tintamarre! Instrumentos musicais na arte, 1860-1910”.

O museu dispõe ainda de uma loja de lembrancinhas, um restaurante/café e um pequeno jardim cheio de tulipas.

 

◊ Informações Práticas

Horário: Aberto diariamente, das 10h às 18h (última entrada às 17h30)

Ingressos: 7€ Adultos • 4,50€ Crianças (entre 12 e 18 anos) e Estudantes • 3€ Crianças (entre 7 e 11 anos) • Gratuito para crianças menores de 7 anos

Tempo médio de visita: 30 minutos

 

Giverny-eglise-sainte-radegonde

ÉGLISE SAINTE RADEGONDE

A pequena igreja de Giverny não chama atenção pela sua arquitetura e muito menos pelo seu interior, pois é bem simples e modesta. O real motivo é o cemitério tranquilo aonde está enterrado Claude Monet, junto de Alice, sua segunda esposa e seu filho Michel Monet.

Um pouco mais adiante, está o memorial feito em homenagem aos seis aviadores britânicos que morreram em um acidente de avião, durante a Segunda Guerra Mundial, em Giverny.

Horário: Aberto diariamente, das 9h à 18h

 

MUSÉE DE MÉCANIQUE NATURELLE

Museu gratuito ideal para os fãs de motor. Criado pelos irmãos Guillemard: Jean-Pierre, René e Gérard, possui uma coleção de motores à vapor e de combustão. É neste museu que está o maior e mais antigo motor a diesel no mundo. Confesso que não fiquei animada para visitar, mas fica como dica para quem curte.

Endereço: 2 rue Blanche Hoschedé-Monet

 

 

CAFÉS E RESTAURANTES EM GIVERNY

giverny-rest-ginguette

 

La Ginguette (FOTO) – Um pouquinho mais afastado da zona turística, está instalado às margens de um riacho. Com uma vibe bucólica, possui um menu com receitas da região e prato do dia por 18€. Um lugar delícia para almoçar em um dia de sol, com atendentes simpáticos e bilíngues. [13, rue de la Falaise, 27620 – Giverny]

Au Coin du Pain’tre – Sugestão de lugar para fazer uma pausa e tomar um café. A boulangerie e pâtisserie, propõe um Café Gourmand (café + 3 docinhos) por 4,50€. O lugar também é gostosinho e cheio de pássaros passeando pelo terraço, entre as mesas. [73 bis Rue Claude Monet, 27620 – Giverny]

La Musardière – Restaurante creperia do hotel Musardière, é uma opção para quem quer comer um crepe gostoso. Você pode escolher uma mesa no interior do restaurante ou do lado de fora, na varanda. Dica: se escolher jantar e não estiver muito frio, pegue uma mesa do lado de fora, pois a paisagem fica ainda mais bonita com as cores do pôr do sol.  [123 rue Claude Monet, 27620 – Giverny]

 

 

giverny-ancien-hotel-Baudy

Restaurant BaudyMais que um restaurante, um lugar acima de tudo histórico. O local já foi frequentado por Cézanne, Renoir, Rodin, Mary Cassatt e, claro, por Monet. O restaurante conserva detalhes da decoração dos anos 1900 e oferece aos clientes gastronomia francesa tradicional e pratos da típicos da Normandia. [81 rue Claude Monet, 27620 – Giverny]

Le Jardin des Plumes – Restaurante mais chique e com 1 estrela Michélin. O menu assinado pelo chefe Eric Guerin pode ser provado através do menu degustação intitulado “Impressionnistes” por 98€ ou do menu “à la Plume” por 48€ o qual inclui: entrada + prato principal + queijo ou sobremesa. [1 rue du milieu, 27620 – Giverny] 

Les Nymphéas – Localizado na frente da Casa Monet, possui uma decoração rústica e um terraço com jardim. Bastante procurado pelos turistas, este restaurante propõe pratos franceses, iguarias típicas da Normandia e algumas opções para os vegetarianos.

 

 

INFORMAÇÕES PRÁTICAS

Quando ir à Giverny

A casa e os jardins de Monet estão abertos para visitação a partir do dia 24 de março até dia 1 de novembro. No entanto, é na primavera que o lugar atinge seu ápice de beleza, principalmente no mês de maio. Outra opção que pode ser bacana é no outono, quando as folhas das árvores mudam de cor antes de caírem.

Para conseguir passear mais tranquilidade, sugiro ir no período da manhã e evitar os finais de semana.

 

giverny-france

Como chegar em Giverny

Você tem algumas opções para chegar na cidade de Monet, tais como:

♦ TREM: Na estação Gare Saint-Lazare, você pega um trem da linha intercités, sentido Le Havre. A viagem dura entre 45 e 50 minutos e você desce na estação Gare de Vernon, cidade vizinha. Em seguida, pega um ônibus que te levará diretamente à Giverny. A passagem de trem custa, no máximo, 14,70€ e o bilhete do ônibus sai 10€ (ida e volta).

Compra online: SNCF para o trem e SNGO para o ônibus.

♦ CARRO: Com a opção de alugar um carro ou contratar um motorista particular, você chegará em Giverny em aproximadamente 1 hora. A autopista é bem tranquila e tem apenas um pedágio no caminho. Além da rapidez, você tem mais comodidade e também pode conhecer as cidades vizinhas, como Vernon que é gracinha igual.

 

 

LEIA TAMBÉM:

O que fazer em Chartres, uma linda cidade histórica perto de Paris

Paris em 4 dias: Roteiro perfeito para curtir muito gastando pouco

Como arrumar a mala de viagem: Passo a passo completo!

2 respostas

  1. Adorei sua matéria, parabéns! Tem alguma sobre Vernon?
    Muito obrigada por suas dicas.

    1. Oi Elaine, td bem?
      Ainda não tem post sobre Vernon, mas terá em breve! 😉

      Bisous!

Para dúvidas, comentários, sugestões ou só para dar um Oi mesmo:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *