Montmartre: Guia perfeito para um dia no bairro mais charmoso de Paris

Montmartre: Guia perfeito para um dia no bairro mais charmoso de Paris

Resolvi fazer um post sobre o bairro mais boêmio de Paris, Montmartre. O principal motivo é que, para mim, todo mundo que vem à Paris precisa reservar algumas horas para se perder pelas ruas com casas cheias de charme, história e arte. Por isso, separei algumas sugestões do que fazer, como chegar, onde comer e até onde se hospedar.

Mas para começo de conversa, acho válido te contar um pouco mais sobre o bairro que foi cenário do filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”.

 

BAIRRO DE MONTMARTRE

O bairro está situado na região norte, no 18° arrondissement, em uma colina. Com muitas ruas arborizadas, construções antigas conservadas, seus artistas de rua e seus cafés, tornam Montmartre uma das regiões mais charmosas de Paris.

No passado, vários artistas frequentavam os inúmeros bares e carabés – Picasso, Dali e Monet são apenas alguns nomes. Hoje, o bairro recebe diariamente turistas vindo dos quatro cantos do mundo.

montmartre

 

 

O QUE FAZER EM MONTMARTRE

moulin-rouge-montmartre
O principal ponto turístico de Montmartre é a Basílica Sacre Coeur que fica bem no topo da colina. Entretanto há vários outros lugares para você descobrir durante a caminhada.

Você pode começar conhecendo o famoso cabaré Moulin Rouge – cenário de várias obras do pintor Toulouse-Lautrec. A fachada é linda, mas os preços dos espetáculos não são tão baratos (reservas variam entre 87€ e 420€). Então depois de fazer alguns cliques, pode seguir para ver o Café Des Deux Moulins, onde foi gravado o filme da Amélie Poulain. Subindo pela Rue Lepic, você vai chegar na Rue des Abbesses onde tem a boulangerie Le Grenier à pain, padaria que venceu o concurso de melhor baguette de Paris. Vale uma pausa para experimentar! Na mesma rua tem a casa de chás Kusmi Tea – é o paraíso de quem é fã de chá.

Pertinho tem o Le mur des je t’aime, uma pequena praça com uma parede escrita “Eu te amo” em mais de 250 idiomas. A partir daí, você tem duas opções para continuar o trajeto: 1) ir até a Place Saint Pierre e pegar um funicular (tipo bondinho que custa 1,90€) para subir ou 2) ir caminhando a pé e observando os detalhes das ruazinhas estreitas até chegar ao topo.

le-mur-je-taime-montmartre

 

Considerando que você vai subir caminhando, pode seguir em frente até chegar na Place du Tertre, um lugar com muitos cafés, restaurantes, bares, galerias de arte e artistas de rua. Pertinho da praça está o Espace Dali, um pequeno museu sobre a história do artista surrealista.

Após uma caminhada por vários lugares pitorescos você vai chegar no ponto alto de Montmartre, a Basilique du Sacré-Cœur. Toda feita de mármore, possui um estilo bizantino e uma vista de Paris sensacional. A subida vale muito a pena, ainda mais se for para ver o pôr do sol.

place-du-tertre-montmartre

Enquanto estiver nessa área bem movimentada, a minha dica é caminhar pelas ruas paralelas. Elas são mais tranquilas, mais residenciais e com vários segredinhos. Como por exemplo, La Maison Rose (aberto diariamente, exceto terça-feira, das 11h às 22h30), um café restaurante de esquina todo rosa – É muito amor! – e a Vigne du Clos Montmartre, local onde estão plantadas as videiras mais antigas de Montmartre.

Outra área que você pode explorar, e que vai te render belas fotos, fica nos arredores da Place Dalida – Dalida foi a primeira artista a receber um disco de ouro e de diamante, fez quase 40 anos de sucesso. A praça  fica entre as ruas Girardon e Abreuvoir. Descendo as escadarias da praça, você vai ir em direção à estação de metrô Lamarck / Caulaincourt, onde foi gravado cenas do filme Bastille (onde os instagrammers adoram fazer fotos).

 

 

PASSEIOS OPCIONAIS

♦ Cúpula da Basílica – Confesso que me faltou coragem para subir os 300 degraus. Mas se você tiver fôlego, pode ir até a cúpula e apreciar a Cidade Luz bem do alto. A cúpula abre diariamente, das 08h30 às 20h (entre maio e setembro) e das 09h às 17h (de outubro a abril). Quanto ao valor, é preciso checar no site oficial, pois muda frequentemente. Para acessar o site, clique aqui > Le Dôme

Casa Picasso –  Eu já vi alguns sites indicando para ir conhecer e até já fui visitar a Casa Picasso, onde ele pintou o quadro Les Demoiselles d’Avignon. Basicamente o que você vai ver é o muro branco e uma porta verde – não tem nada de mais. Por isso fica como um passeio opcional. 😉

♦ Cemitério de Montmartre – Onde é possível ver as sepulturas do escritor Alexandre Dumas Filho e dos pintores Jean-Baptiste Debret e Edgar Degas, entre outros. Parece gótico, mas não né! Inclusive, alguns túmulos são bem bonitos.

Museu do erotismo – Próximo ao Moulin Rouge e Pigalle, existe um museu do erotismo (acho exótico rs), casas exibindo filmes pornográficos e muitos sex shops.

♦ Cabaret Restaurant Au Lapin Agile – É o cabaré mais antigo de Paris e que funciona até hoje como restaurante e casa de shows. O lugar já foi bastante frequentado por artistas da Belle Époque –Renoir e Picasso são alguns nomes.

Marché Saint Pierre – Com quase meio século, o mercado é o paraíso para quem busca tecidos, aviamentos e fantasias.

Belle de Jour Uma loja especializada em frascos de perfumes. É possível encontrar frascos antigos e alguns bem caros, feitos de cristal. Para quem é fã de perfumes, assim como eu, vale a ida até a loja.

montmartre-sacre-coeur

COMO CHEGAR EM MONTMARTRE

Metrô: Estação Blanche (linha 2), Anvers (linha 2) ou Abbesses (linha 12)

Ônibus: 30 ou 54

o-que-fazer-em-montmartre-1-dia

 

BARES E RESTAURANTES EM MONTMARTRE

croque-madame-montmartre♦ Les Apotres de Pigalle – Pertinho do Moulin Rouge, o restaurante oferece tapas deliciosos com preços justos. (2 Rue Germain Pilon, 75018)

♦ Lux Bar – Serve um croque madame que vale a pena provar e fica na mesma rua do “café da Amélie Poulain”. Os atendentes são muito simpáticos e falam inglês. (12 rue Lepic, 75018)

♦ Le Smiley – Está um pouquinho fora de Montmartre, mas é um lugar gostoso para sentar e comer algo. (37 Rue des Martyrs, 75009)

Le Moulin de la Galette – Restaurante de gastronomia francesa, já recebeu até estrela Michelin. É um lugar clássico, presente nas obras de Van Gogh, e com pratos custando em torno dos 22€. (83 rue Lepic, 75018)

La Taverne de Montmartre – Com estilo rústico e ambiente gostosinho, este restaurante serve pratos da gastronomia francesa. Se for à Montmartre no inverno, sugiro passar lá para provar a raclete que é deliciosa. (25 rue Gabrielle, 75018)

 

 

ONDE FICAR EM MONTMARTRE

Plug Inn: hostel localizado próximo a Basílica Sacré-Cœur, oferece dormitórios e quartos privados. Cada quarto tem um banheiro equipado com chuveiro, WC e secador de cabelo. (Diárias a partir de 25€)

Hotel Boronali: hotel três estrelas próximo de estação de metrô, possui estacionamento, elevador, recepção 24h e wifi gratuito. (Diárias a partir de 69€)

 

Me conta o que achou do guia de Montmartre? Foi útil? Quero saber!

Bisous!!

 

⇒ LEIA TAMBÉM:

Transporte em Paris: Saiba como funciona

5 lugares para tomar chocolate quente em Paris

8 respostas

    1. Oba!! Sandra, pode deixar que vou te mandar ótimas dicas. ?

  1. Oi Rafa!

    Antes de conhecer Paris, ouvi falar que a água para tomar banho aí resseca os cabelos, principalmente das brasileiras. Quando estive aí percebi que meu cabelo sentiu a diferença.
    Poderia fazer um post sobre isso, falando se é verdade e dicas de como resolver o problema.

    Adoro seus posts
    Bjos

    1. Oi Jana! Fico super feliz que gosta dos meus posts. =)
      Sabe que estou planejando fazer uma parte só sobre a vida na França?!
      E essa é uma ótima ideia para um dos posts. Obrigada! ?

  2. Oi Rafa !!!! Adorei v/C ter atendido o meu pedido, fiquei só relembrando e C/ muita vontade de ir até aí, tá muito frio aí????

    1. Oi Carmen! Que bom que gostou! =)
      Agora tá frio sim, mas ainda não tanto. O frio mesmo vai chegar já já hehe

  3. Seguimos o roteiro e amaaamos! Mas olha, como Montmartre tem escada hein hahaha mas vale a pena cada minuto do sedentarismo!
    Gostamos principalmente de andar sem rumo pelas ruazinhas, pena que quando fomos descansar um pouco na La Maison Rose, ela estava fechada. Mas, apenas mais uma desculpa para voltar a Paris <3
    Beijos Rafa!

    1. Ai que demais!!
      Realmente são muitas escadas e subidas, mas são tantos detalhes que valem o esforço hehe

      Bisous! ????

Comentários estão fechados.