Sabe como chegar até o Monte Saint Michel? Veja as melhores opções

Sabe como chegar até o Monte Saint Michel? Veja as melhores opções

Classificado pela UNESCO como patrimônio mundial, o Monte Saint Michel é mais um dos lugares a descobrir uma vez em solo francês. É o segundo lugar mais visitado na França e recebe todo ano mais de 2 milhões de visitantes. Recentemente estive lá e posso dizer que é incrível!

Super recomendo se você tiver tempo ou pelo menos um dia livre. Pois é possível fazer um bate-volta de um dia. Vou te explicar logo adiante, mas antes queria compartilhar algumas informações interessantes sobre o monte e a região.

 

Um pouquinho sobre o Monte e a sua região

como-visitar-monte-saint-michel

O monte está situado em uma pequena ilha na região da Normandia. Uma região que já pertenceu aos Vikings e que já foi palco de várias batalhas da Segunda Guerra Mundial.

A sua capital administrativa da Normandia é Rouen, uma outra cidade importante para história. Foi nesta cidade que o ícone Joana d’Arc foi condenada e queimada em praça pública. Dentre outras cidades interessantes da região temos: Giverny, Étretat e Deauville.

Além dos fatos históricos, a região é famosa por sua gastronomia típica. Uma vez na Normandia, não deixe de provar: o queijo camembert, a cidra e as crepes. Esses são os clássicos.

abadia-monte-saint-michel

 

Quanto ao Monte Saint Michel, posso dizer que é um vilarejo fortificado na época da Guerra dos Cem Anos e habitado, inicialmente, por monges. Com o passar do tempo, o local foi sendo ocupado por outros moradores.

Entretanto, hoje em dia, há apenas 29 pessoas que residem no monte, sendo freiras, funcionários da abadia e alguns comerciantes. A maioria das pessoas que tem comércio no monte, habitam fora do vilarejo.

 

Abadia do Monte Saint Michel

O ponto principal da visita é a Abadia no alto do monte, classificada como patrimônio mundial desde 1979. E você sabia que ela não foi sempre assim?! No início era beeeem mais simples. Para contextualizar, a primeira igreja foi construída em 709 pelo bispo Aubert de Avranches. Era um santuário em homenagem à Arcanjo Miguel.

claustro-monte-saint-michel

Muitos anos depois, no século XI, foi fundado uma igreja romana sobre um conjunto de criptas.

No século XIII, após conquistar a Normandia, o rei da França Philippe Auguste fez uma generosa doação que possibilitou a construção de toda a parte gótica da famosa Merveille: dois edifícios de três andares, com um claustro e refeitório.

No entanto o coro no estilo gótico flamboyant só veio depois, na Idade Média, quando o coro antigo desabou.

Além de todas as alterações na arquitetura da abadia, houve também mudança de função. Além de monastério, o local foi usado como prisão, do século XV até a Revolução Francesa. E foi assim, de evento à evento que a abadia e o Monte Saint Michel foram se transformando até se tornarem o que conhecemos hoje.

tour-monte-saint-michel

 

Como chegar até o Mont Saint Michel

Há diversas formas de chegar até o monte Saint Michel. Carro ou moto, ônibus, trem e até de bicicleta, se tiver disposição (não é o meu caso hehe). Contudo, independente da escolha, o ponto final será antes da ponte que leva até o monte. Para cruzar a ponte, há navettes (ônibus) gratuitas e carroças para quem quer algo mais pitoresco. Também é possível fazer a pé (uns 30-40 minutos de caminhada tranquila).

mont-saint-michel-franca

No meu caso, eu fui até o Mont Saint Michel em excursão guiada com a Paris City Vision, empresa que eu gosto de recomendar para os passeios em Paris e região. Foi uma experiência bem bacana.

O ônibus sai cedinho do centro de Paris – pertinho do Jardin des Tuileries, com um guia que vai contando a história do monte e da região Normandia. Ah, um detalhe importante, há opção de tour em português. 

Chegando lá, na hora do almoço então antes de iniciar o tour, almoçamos num restaurante com vista para o Monte – achei sensacional! O almoço incluía entrada, prato e sobremesa, acompanhado de uma bebida típica da região, a cidra de maçã.

Na sequência fizemos a travessia e fomos explorar a famosa abadia, incluindo o claustro. Depois, um tempinho para admirar a vista lá do alto e perambular pelas ruelas do vilarejo. Voltamos para Paris no final de noite, por volta das 21h. O lugar todo tem uma energia única e inexplicável, só visitando para sentir e saber 😉

Esse passeio que eu fiz tinha almoço incluso, mas há outras opções no site da Paris City Vision, como só o transporte sem guia e nem almoço, por exemplo.

 

regiao-normandia

Dicas para a sua visita

♦ Se quiser pegar a maré alta, o site oficial do Mont Saint Michel disponibiliza tábua das marés do ano todo.

♦ Caso tenha tempo, minha dica é dormir uma noite no monte para caminhar pelas ruas no período da manhã. Considerando que a maioria das pessoas fazem bate-volta e vão priorizar a abadia, o período da manhã costuma ser mais tranquilo e mais agradável para andar. Para a hospedagem, você encontra diversas opções no Booking.

♦ Dependendo da época, pode ter muitas pessoas no monte e ser um pouco difícil para encontrar um restaurante com mesa livre. Alguns permitem reservar com antecedência pela internet. Um site ótimo para fazer reservas é o La Fourchette (ou The Fork), também disponível como aplicativo.

♦ Para saber mais detalhes da visita guiada que eu fiz, te convido a visitar o site da Paris City Vision. Eles oferecerem serviços para Paris e diversas outras da França. 😉

 

pagina inicial Pariscityvision

 

⇒ Leia também:

O que fazer em Reims: Guia prontinho para um final de semana!

Descubra Giverny e os Jardins de Monet | Guia ideal para um dia

O que fazer em Chartres, uma linda cidade histórica perto de Paris

 

*O Vem Comigo visitou o Monte Saint Michel a convite da Paris City Vision. No entanto conteúdo do post reflete apenas a opinião da autora.

Para dúvidas, comentários, sugestões ou só para dar um Oi mesmo:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *